quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Acendi a luz - Olhavas-me lânguida, carente

,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
Acendi a luz
Olhavas-me lânguida, carente
Vestias uma combinação de seda branca
Suave, macia, sedutora
Percorro o teu corpo com o olhar
Que transmitia fogo ardente
Em labaredas de tesão
Ardia em mim um fogo sufocante
Chamas de paixão queimavam o meu sexo
Que desejava o teu
Que se mostrava em teu corpo esbelto e já nu
Fazendo nascer em mim
Loucos devaneios sexuais
Olho-te longamente, apaixonadamente
Sentindo ferver os meus desejos 

Acaricio-te com a minha língua
Sentindo como os teus lábios se entregam
À doçura dos nossos beijos
Viajo pelas curvas do teu corpo
Como um leão faminto
Deixo sair um grito abafado de instinto
Abres as pernas, delirante, perdes a razão
Com os dedos acaricio os teus mamilos
Descendo pelos vales do descontrolo
Perco  todo o controlo
Quando beijo a tua vulva húmida
Transbordando de tesão
...................

5 comentários:

  1. Intenso e ardente poema. Repleto de tesão e... causando tesão!
    Muito bom!

    ResponderEliminar
  2. Sedutor e intenso poema erótico...Adorei
    Bjos

    ResponderEliminar
  3. Quando eu dormia na casa dele era bom! Quando eu procurava-o na cama, era repelida; ele falava que eu era problemática e só pensava em sexo! Depois disso, todo namorado que eu arranjava eu jamais tomava a iniciativa! A vida real não é como os pornô -blogs apregoam, mas viva a fantasia sexual!!!

    ResponderEliminar