domingo, 7 de fevereiro de 2016

Luxuria e erotismo qual "fonte" em gotas de prazer.

Seios redondos, quentes fogosos
Onde prendo meus lábios de desejo
Mamilos doces de carinhos fervorosos
Pedem que com doçura neles deixe um beijo

Teu corpo invade a minha decência
Enlouquece os delírios do meu ser
Ilustre luxuria, minha luz, apetência
Minha fonte de pureza, meu prazer
Teus lábios desnudos, quentes
Tua língua, de desejo, fremente
Amor perfeito, exigente
Pingos de gozo, eloquentes
Mão que segura o falo, vibrante
O faz pulsar, escaldante
Em teus desejos seguros
Em delírios imaturos
Deixas nossa luxuria verter
E das gotas, qual fio constante
Crias a tua fonte de prazer.
.............

4 comentários:

  1. Óhh minha nossa!! Mas que tesão que me deu assim, num ápice, basta entrar aqui.Fico doido. hehehe
    O Nuno Filipe, brinda-nos sempre com os seus melhores posts, Parabéns, Amigo

    Um Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Que coisa tão boa... que me fez mexer com toodos os sentidos!! Humm... Muito bom!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Que delicia de poema e que imagens tão excitantes!
    Deixei-me cair na imaginação, com o meu mais que tudo! kkk

    Beijoos doces

    ResponderEliminar
  4. Essas gotas de prazer se transformam numa tempestade de prazer...
    Ótimo poema.... com imagens excitantes...!!!

    ResponderEliminar