sexta-feira, 25 de março de 2016

A garota da pastelaria... Olho-a..."ferve" o meu imaginário quente e erótico ...Sinto o calafrio dos sentidos

Quando se fala em sexo - falo como homem - a nossa mente até parece voar ao encontro de alguém, num cenário imaginário, que pode ou não, vir a acontecer. Pensamos eroticamente naquela garota que vimos todos os dias, que nos serve o café e a tosta mista, na pastelaria da tia Alcina. Imaginamos estar na intimidade com aquela miúda loira/morena, que viaja todos os dias no mesmo autocarro que nós, que nos deslumbra e nos encanta.

Todos os dias uma garota loira, linda de morrer, me serve o café. Usa uma saia curta, ou uma calça justa, blusa com um decote atrevido. Sorriso encantador. Por vezes até deixo o café arrefecer tal a minha fixação naquela garota que tanto me seduz. Imagino-a... imagino-me com ela na minha cama, desfrutando do seu carinho e sensualidade.

Recordo-me da última vez que "estivemos juntos": Pele lisa, deliciosa, deixando-me louco com os seus carinhos, ousada, provocante. Não resisti e puxando-a para mim, "arranco-lhe" a calcinha branca, deixando visível perante os meus olhos as suas partes intimas. Uma visão irresistível. Puro arco-íris em movimento pelas pupilas dilatadas dos meus olhos
Abro as suas pernas e sacio a minha "loucura" erótica. Desfruto do elixir do seu sexo que exulta de prazer. Sinto a textura e o quente do seu clitóris, que me "abrasa" o desejo. Sinto o "abraço" à minha língua, feito pelos seus lábios vaginais, carnudos, salientes, molhados. Deliro com os seus maneios corporais que me excitam a libido.
Fascinam-me aqueles olhos da cor do sonho. Fulminantes. Cintilantes de luxuria e desejo. O meu pénis endurece com os toques da sua língua marota, que se exibe dentro de um ligeiro sorriso, que me encanta e cativa.
Acontece o beijo profundo e delicioso. Toco com os dedos em seu sexo húmido cheio de tesão. Ambos sabemos que chegou o momento de ... acontecer...
O "pico" sexual chegou. Nossos corpos "ardem" de desejo e prazer. Ela adora ficar de quatro(4). Exige-me essa posição. Obedeço. Aceito. Ouço os seus gemidos e palavras incitantes. Ela quer mais e mais. Grita por mim. Quer sentir-me dentro de si.  Os seus suspiros ecoam pela minha mente... Ouço-os........
Pareço "despertar" do meu próprio pensamento. Continuo a mexer o café que já não fumega. Está frio. Reparo que, atrás do balcão, aquela garota rodopia serenamente no atendimento a outros clientes. Nem reparou em mim. Nem sei o seu nome ... apenas a imagino.... nos imagino ... sinto o calafrio dos sentidos.
.

6 comentários:

  1. Imaginários excitantes, quem de nós nunca imaginou uma cena assim ou merecida, que atire a primeira perda. Parabéns pela postagem, maravilhosa!

    Bjos e um Santo Dia.

    ResponderEliminar
  2. Já imaginei tanta coisa mas não posso dizer porque o meu namorado não gosta, é muito tímido e tem receio que eu o traia.
    Publicação fabulosa
    Páscoa Feliz

    ResponderEliminar
  3. Imagens arrepiantes onde deixei preso o olhar e vaguear a minha imaginação.
    Vocês são uns queridos.
    Boa Páscoa

    ResponderEliminar
  4. Um gajo não é de ferro, quando deparamos com certos "monumentos" saímos fora de nós...adormecemos num sonho, acordado.

    Abraço e boa Páscoa

    ResponderEliminar
  5. Ohhh my God! Senti uns calafrios vulcânicos por tais imaginários ardentes! Quem não inaginou algo assim, com alguém com quem nos cruzamos habitualmente, seja num autobus, no café ou restaurante habitual? Que arrepiantes imagens que nos deixa em delírios efervegentes.

    ResponderEliminar
  6. Pois...quem não teve que fugir a sete pés para não ser descoberto...no seu olhar e no seu tesão visível. o desejo de perder o tino e assaltar de quatro a menina das torradas...
    Bravo Nuno

    ResponderEliminar