segunda-feira, 14 de março de 2016

Flatulências ( Flatos) Vaginais: Sabe do que se trata? Tem tratamento?


Muitas pessoas especificamente na idade adulta ficam a pensar quando ouvem falar em flatulência vaginal ( Flatos Vaginais). Simplesmente por não saberem no que consta.
Sabem o que é flatulência anal mas não a flatulência vaginal.

Muitas dessas pessoas até deixam escapar um sorriso maroto como quem pensa ser uma brincadeira e não um facto real. Mas a verdade é que os flatos vaginais existem. Vou tentar explicar a fim de que os nossos leitores fiquem esclarecidos, e/ou mais do que poderão estar. Definindo.

Flatulência Vaginal ( Flatos Vaginais) são gases (ar) expulsos de dentro da vagina, que ocorrem por norma durante o acto sexual, originando inclusive a vibração dos lábios vaginais, pequenos e grandes. Nem sempre esse ar quando sai faz barulho e daí muitos adultos nem se aperceberem que ocorrem.


Quando esse ar sai mais comprimido pela musculatura vaginal – não pela acção de qualquer força, pois a mulher não consegue por si comprimir esses músculos, como comprime os músculos do ânus – fazem um barulho muito parecido com a flatulência anal. Não exalam qualquer odor a não ser que a mulher tenha qualquer problema de saúde, como por exemplo, corrimento patológico.

Normalmente todas as posições sexuais originam a entrada de ar na vagina. Umas mais que outras. A posição chamada de quatro(4), por exemplo, ou a posição em que a mulher fica por cima do homem - 1.ª imagem -, são mais propicias a que o ar entre na vagina, aumentando essa possibilidade se, o pénis entrar e sair totalmente da vagina.

Quantas mais vezes entrar e sair, na sua totalidade - especificamente no que concerne à saída - mais ar pode entrar. Entrando o ar, quando o pénis sai, ocorre a saída desse ar que, ao passar pelos músculos vaginais, estando esses mais comprimidos – por excitação, por exemplo – tem tendência a que o barulho aconteça.

Essa faceta pode acontecer inclusive durante o acto sexual. Nada invalida que tal possa acontecer.

Outro exemplo: Estando a mulher em determinada posição, querendo mudar para outra, desde que tal inclua a saída do pénis da vagina, acontece muitas vezes a saída de ar e o consequente barulho que pode parecer flatulência anal.
Algumas mulheres são mais atreitas a terem flatos vaginais.

O canal vaginal fecha-se por si em função de um agrupamento muscular a que os sexólogos dão o nome de: assoalho pélvico (MAP).

São esses músculos que ao contraírem fecham a entrada da vagina, sendo essa contracção a responsável maior pela pressão sentida pelo homem sobre o seu pénis durante a relação sexual.

Poder-se-á pensar que a flatulência vaginal não tem forma de cura e/ou de se melhorar a musculatura vaginal a fim de diminuir, quiçá evitar esse constrangimento, que afecta muitas mulheres e homens, sendo estes, ( homens) por envolvência no acto sexual. É menos correcto esse pensamento.

Se uma mulher se sentir menos confortável, pode e deve consultar um médico. Esse por sua vez a aconselhará a fazer fisioterapia especializada aos músculos vaginais, ajudando-os a ficar mais fortes e mais seguros. Outro método que pode ajudar é o Pompoarismo

Em 23FEV2016, Nuno Filipe escreveu … AQUI … sobre a arte do Pompoarismo. 

De facto esses exercícios do Pompoar ( Pompoarismo - bolinhas tailandesas - vide foto) ajudam e muito a trabalhar e a fortalecer os músculos vaginais, de que temos vindo a falar. Esse exercício, deixa esses ( músculos) mais unidos, mais firmes, mais fortes, reduzindo muito a saída do ar, na forma mais incomoda , ou seja soltando aquele som tão incomodativo para quem está num acto sexual.
Também se pode fazer a chamada ginástica de Pilates - ginástica localizada -, a qual fortalece as partes musculares e alivia o stress corporal.

Tal situação - flatos vaginais - podem também ocorrer, quando uma mulher faz ginástica, exercício onde também pode acontecer a entrada e saída de ar na vagina. Muito menos usual, mas não impossível.

NOTA FINAL: Querendo, clique nos videos/gifs/foto, a fim de esses aumentarem de volume, e assim, poder vê-los em toda a sua amplitude.

Espero que gostem do tema.
.

8 comentários:

  1. Conhecia e reconheci...mas achei importante teres trazido aqui o tema.
    Parabéns Vanessa

    ResponderEliminar
  2. É um tema sempre bom para debater, embora sejamos adultos e não exista motivos para embaraços, acontece e por motivos que o corpo humano, a mim já me aconteceu não só no acto vaginal como no anal,sem dramas.

    ResponderEliminar
  3. Belo tema a ser exposto aqui cruamente...!!!!
    Ainda mais dessa forma, tão bem escrita, tão didática...!!!
    Bela aula, para que possamos olhar o fato como algo normal, sem dramas, como disse a Pink!!!!

    ResponderEliminar
  4. Mais um belíssimo texto, didáctico. Acredito que muita gente soubesse o que é. Mas haverá gente que não sabe. Outras que dizem, e se calhar por vergonha, que, nunca tiveram. A mim já me aconteceu, e é quando a nossa posição é de 4. Mas até dá graça, não é drama, é normal acontecer.

    Obrigada, Drª Vanessa por mais um esclarecimento.
    Beijinhos com carinho.

    ResponderEliminar
  5. Tema muito bom que merece uma boa leitura. Parabéns.

    Sim, já me aconteceu, acabámos a rir. É normal, entre casal nada preocupante, é normal. Mas acredito que se acontece ao casal que no momento da escapadinha, é desconfortante :)
    Goste!

    Bjos

    ResponderEliminar
  6. Novo tema e bastante interessante Nuno Filipe! É bastante normal acontecer e não é nada de desagradável. Pode ser saída de ar após a penetração e concordo que na posição de 4 é mais propício a acontecer.Continuem assim com posts interessantes de ler e olhar. Uma das imnagens vendo-se o interior da vagina é mesmo .....

    ResponderEliminar
  7. é o chamado peidinho de cona e não tem mal nenhum, só não acontece a quem não fode.

    ResponderEliminar