sexta-feira, 10 de junho de 2016

Perda da virgindade. Momento único na vida de uma mulher.

É sempre um momento lindo e único quando uma mulher, por gosto e vontade, perde a virgindade. Como mulher sou de opinião que momento tão sublime só é comparável quando uma mulher é mãe pela primeira vez.



Marta e Daniel ( nomes fictícios) namoravam à cerca de seis meses. Ela 18 e ele 24 anos de idade. A cumplicidade entre eles era evidente. Marta era virgem. Desejavam-se fisicamente.



Encontraram-se no apartamento do Daniel. Calor abrasador. Excitação ao rubro pois ambos sabiam o que ia acontecer. Ambos queriam e desejavam que acontecesse. Daniel deitou Marta sobre os frescos e aromados lençóis. Começou com um oral que era de todo novidade para a Marta. O toque da língua dentro da sua gruta de amor deixou-a "louca" de prazer. Por instinto ela própria acariciava o seu seio.



Daniel percorreu o corpo de Marta com a língua, parando sobre o seu mamilo. Beijou-o. Sugou-o com carinho e meiguice. Marta arfava de volúpia e excitação. O momento mais desejado aproximava-se.



Marta sentia o seu sexo bem lubrificado. Tinha "medo" da penetração. Daniel sossegou-a. Iniciou a penetração devagarinho. Doeu um pouco. Marta tenta segurar com uma das mãos o corpo do Daniel. Esse, carinhosamente metia um pouco e tirava logo a seguir. Treinava os músculos vaginais, preparando-os para a penetração total.



Mais um pouco e a introdução total aconteceu. Marta deixou soltar um grito de alguma dor. Arqueou o corpo derivado à investida do seu namorado. A dor foi desaparecendo, dando lugar ao prazer. Infinito prazer. Foi o dia mais feliz da Marta enquanto namorada do Daniel. Tinha acabado de entregar a sua virgindade ao amor da sua vida. Estava apaixonada.

Lembram-se como perderam a vossa virgindade? Querem comentar connosco esse dia tão importante das vossas vidas?




5 comentários:

  1. Tinha 16 anos. Vinha da praia onde tinha passado o dia com aquele safado do Martinho. Rapaz giro, musculado, preenchia-me o pensamento. Acabou por me preencher também de vontade de ele ser meu. Fomos até Monsanto e aí soaram os meus gemidos primeiro de dor e depois de prazer. Hoje pergunto: Onde anda esse safado do Martinho? Algures por terras do Brasil, onde está casado e, provavelmente com filhos. Ainda hoje o recordo com carinho.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia
    Belíssimo texto! Pois a minha foi numa cabana de palha...No escuro...era Inverno...tinha os 15 anos e meio...Não foi uma boa experiência. Podia ter sido melhor. Agora é tudo mais romântico.

    Parabéns Vanessa
    Bjos para ti

    ResponderEliminar
  3. Belíssimo texto Vanessa.... momento único na vida de uma mulher e de um homem que partilha esse momento com ela...!!!
    A beleza do texto está relacionado à visão feminina do momento....
    Narrativa romântica, linda e de uma beleza e de uma ternura únicas.
    Lindo o post!!!!
    PARABÉNS!!!

    ResponderEliminar
  4. Lembro-me na perfeição e tenho orgulho em ter perdido a virgindade com aquela pessoa. Até hoje é um tipo às direitas, que todos elogiam, lindo, inteligente e muito organizado na vida. Tínhamos a casa só para nós, ele comprou velas, incenso, tratou da música e seria apenas mais uma noite de namoro. Aconteceu muito naturalmente sem dores, com muita cumplicidade e inexperiência... A partir daí... Party on!

    ResponderEliminar
  5. Meu motivo de arrependimento! Doeu muito! Quando ele viu a sangria toda, perguntou se eu tava menstruada! 0 idiota era tão jovem e inexperiente quanto eu com meus 18 anos!!!

    ResponderEliminar