sexta-feira, 1 de julho de 2016

Fazer Amor/Sexo dentro da cumplicidade/desejo/entrega/prazer/retribuição/outros.

Existe quem diga que fazer amor é uma frase simpática para quem faz sexo. Talvez não seja bem assim. Pode-se fazer amor sem a existência de sexo, isto referindo-me à relação mais intima entre homem/mulher. Hoje vou falar-vos um pouco da conjugação entre as palavras: afectos, sensações, que se englobem na orla mais intrínseca da, cumplicidade/desejo/entrega/prazer/retribuição/outros.



CUMPLICIDADE:» Sem dúvida que pode existir sexo sem cumplicidade. Mete e tira, tira e mete, lavou, vestiu e... até um dia destes. Mas nesse caso, na tal dita rapidinha, haverá cumplicidade?
Dentro da palavra CUMPLICIDADE existem, porventura, todas as outras palavras.


DESEJO/ENTREGA: » Duas palavras que encerram uma dádiva prazerosa entre parceiros. Desejarem-se física e intimamente. Um beijo sedutor, um toque de língua, uma carícia manual, enfim, são ingredientes que completam o DESEJO/ENTREGA.



PRAZER:» Uma mulher pode fazer sexo oral a um homem por todos e mais algum motivos. Num encontro casual, num carinho repentino, num momento mais "quente". Mas não terá certamente o mesmo sabor ao nível do prazer se for feito no homem que se gosta, que se deseja, que mexe com a sua libido mais lasciva. Isto é uma opinião masculina que pode não ser assim tão certa e correcta.



RETRIBUIÇÃO DO ORAL:» Existem duas espécies de homens. Os que fazem e os que dizem que não fazem. Depois, infelizmente, ainda existem aqueles "machões" que só querem que façam sexo oral a eles mas eles retribuírem nem pensar. Que nojo, pensam. Mas comem caracóis ranhosos, lool.




OUTROS:» Está dentro deste contexto a introdução. Existem milhares de posições em que se pode levar a efeito a introdução. Mais calmas e sedutoras, mais viris, mais "violentas", enfim, tantas e tantas. Se calhar está na mistura da suavidade com a virilidade, cada uma com os seus momentos - onde como homem me revejo - que está a mais bela e luxuriosa sensação de prazer.

Quero ler a vossa opinião sobre a matéria de facto.
...

23 comentários:

  1. Nuno Filipe... o texto e suas definições/comentários são perfeitas.
    As imagens são avassaladoras!!!
    Ler-te é sempre um prazer para o conhecimento e um deleite para os olhos.
    Texto perfeito + imagens lindas + tesão que escreves = nota mil!!!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva caro amigo PEQUENOS DELITOS RENOVADOS

      Sempre uma simpatia os seus comentários ( talvez um pouco exagerados no género, lool )... mas gosto . Que mais dizer?

      Abraço desde Portugal

      Eliminar
  2. Felizmente que o Homem actualmente já entende que a mulher precisa destes carinhos. Cada vez é mais usual estes carinhos no casal mesmo já com uma idade mais "avançada", ou seja, não muito jovem...

    Parabéns pelo maravilhoso post, que certamente vai gerar bons comentarias, porque, como sempre o merece.

    Bjos meu lindo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Larissa

      A tua simpatia é um bálsamo poético

      Bjuuuuuuuuuuu

      Eliminar
    2. Realmente, Larissa Santos, os homens agora já apreciam desfrutar mais tempo com a mulher quando ambos decidem fazer amor, de modo que a brincadeira dos casais hoje não se restringe mais ao tradicional "papai e mamãe" em que o macho ejaculava e, em seguida, virava para o lado e dormia. Hoje há uma preocupação com o prazer da companheira e na satisfação dos desejos e das fantasias desta.

      Eliminar
  3. Já lá vai o tempo que o sexo era uma obrigação. Ainda bem que as coisas mudaram. Ainda bem que a mulher tem a liberdade de expor os seus gostos perante o Homem... Este artigo está muito bem explicado, provocando-nos uma certa excitação.

    PS: Se tu fores como tão bem descreves, és uma autentica bomba, sei que sim :-)

    Beijinhos
    Um feliz fim de semana.

    Prazeres e Carinhos Sexuais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amiga Dalila

      Concordo na íntegra com a tua opinião

      Bjuuuuuuu doce

      Eliminar
  4. Boa tarde, Sexo amor é instintivo, se não for premeditado o sabor é mais requintado, assim, pode acontecer a qualquer hora, em qualquer local.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva meu amigo Existe Sempre um Lugar

      Pedindo desculpa da minha ausência em seu blogue, que é fabuloso, agradeço a sua visita e sábio comentário

      Irei visitá-lo assim que possível

      Grande abraço

      Eliminar
  5. Fiquei quentinha de ler e ver as imagens...Tenho de ir já tomar banho de água...fria.

    És fabuloso Nuno. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OLá Vanessa

      És um amor de amiga. O que te posso dizer mais?

      Bjuuuuuu doce

      Eliminar
  6. Estou me roendo de curiosidade em saber como seria " fazer amor sem a existência do sexo".
    Enfim, este assunto tem lá suas explicações para cada um que vive-lo.
    Abraços^.~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. DARK

      Como se chama a: Estar juntinho, muitos beijinhos carinhosos, muitas carícias corporais, palavrinhas doces, enfim... tudo ( que esteja envolvo no relacionamento mais intimo, entre dois seres humanos, sem chegar a fazer sexo), isso não se chama fazer amor?

      Não concorda que se pode fazer amor sem chegar a fazer sexo puro e duro? Ou seja introdução de pénis na vagina?

      Será que fazer amor tem obrigatoriamente de haver sexo?

      Gostava de ler a sua opinião

      Grande abraço

      Eliminar
    2. Eu diria que, quando passamos a ter um relacionamento com a pessoa, como nem todos os dias acontece o sexo, nós homens acabamos tendo que aprender a amar nossa companheira de tal maneira.

      Sem dúvida que o sexo não é condição necessária para que um casal faça amor. Porém, não considero recomendável que, numa relação amorosa haja uma abstinência de sexo. Pois uma coisa seria um casal restringir o ato sexual por algum período devido às suas razões particulares. Outra são duas pessoas não terem de modo algum contato sexual. Aí já não faria bem.

      Ótimo domingo!

      Eliminar
  7. Você arrasa sempre Nuno Filipe e os seus textos são bastantes lúdicos.
    Começando pela cumplicidade, eu chamarei antes "empatia" dado ser um nome mais intímo e pessoal. Cumplicidade até existe nos parceiros dum assalto ou crime Lol.
    Para um envolvimento perfeito o factor primordial é a empatia e sem ela a explosão não é vulcância mas banal.
    Pode existir sexo sem empatia, por exemplo: sexo casual ou só pelo desejo de "despejar" no momento.
    O desejo/entrega será maior quanto maior for a empatia e estão interligados. Concordo que num envolvimento a entrega deverá ser total sem qualquer tipo de tabu e só assim o prazer será altamente compensador.
    Quanto ao sexo oral ainda existe o "nojo" na mente de muita gente. E ainda existe muito machismo e o lema "quero, posso e mando". Os homens ordenam às mulheres para lhe fazerem sexo oral sem sequer retribuirem. E claro, elas com submissão nunca sentiram o expoente máximo do orgasmo oral.
    Eu não aceitaria um envolvimento assim....se eu dou têm que me retribuir...é a lei do retorno lol.
    Falando na introdução, nem sempre o chamado "fazer amor" implica introdução. Há vertentes do sexo tantrico que não ela não existe.
    A comparação do clitoris com o caracol está o máximo! Lol mas há quem não os ache ranhosos e a vagina duma mulher sim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola querida amiga mata hari

      És uma amiga querida e mais não digo

      Os teus comentários são SEMPRE SOBERBOS

      Beijinhos doces em tu.

      Eliminar
  8. Amigo, concordo, com a Mata hari, empatia... beijos em ti

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pink Poison

      És uma kida

      Retribuo os beijinhos em TUUUUUU

      Eliminar
  9. Mmm excitante entrada, Nuno, un placer visitarte.

    Un beso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá minha amiga Maria

      Que gosto tão bom ver-te aqui

      Retribuo o Beijo

      Eliminar
  10. Ainda que sexo e amor sejam coisas distintas, considero recomendável que a prática do ato sexual ocorra dentro de um contexto amoroso compromissado. Só assim é que pode rolar um nível de intimidade com cumplicidade.

    Concordo plenamente quanto à reciprocidade. Aliás, a prática do sexo oral feito na mulher é um importante ingrediente nas relações e não vejo razões para o homem sentir nojo. Principalmente se for feito com sua esposa ou companheira fixa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva amigo RODRIGO

      Concordo na íntegra com a sua opinião. Apetece-me dizer: NEM MAIS.

      Abraço

      Eliminar