sexta-feira, 16 de junho de 2017

Transexual ou travesti, qual a diferença? Será que existe? Quer ler a explicação?

************************************************
Atualmente o sexo está muito desenvolvido e qualquer ser adulto sabe falar sobre as questões que o envolvem. Mas será que sabem tudo? Hoje permito-me falar um pouco na diferença que existe entre um travesti e um transexual. Evidentemente que eu também não sei tudo, nem tenho essa pretensão.

Não se pode dizer que as características entre os géneros masculino/feminino, difiram muito.

Falando  de homens, poder-se-á dizer que um transexual nasce HOMEM, mas no seu ego não se sente bem nesse corpo pois os seus genes dizem-lhe que é uma mulher, sentindo-se nas suas acções como tal.
Assim, começa por se vestir de mulher, inicia-se a consumir comprimidos e outros géneros de hormônios, começando a fervilhar na sua cabeça que a cirurgia de mudança de sexo tem que acontecer, não descansando até que consiga realizar a mesma.
Uma imagem de uma mulher que, nasceu homem, e foi operada para mudança de sexo.

O travesti, sente-se como um ser feminino, veste-se também de mulher, toma os mesmos medicamentos ( hormônios ) mas não sente a necessidade de mudar de sexo, mantendo o órgão sexual com que nasceu.

Geralmente são homossexuais, embora não seja obrigatório que tal aconteça. A verdade é que existem homens travestys que, tendo corpo de mulher, são de uma beleza ímpar, não ficando em nada diferentes das mulheres cuja beleza corporal é originária do seu nascimento no género feminino.


Acontece também que existem mulheres que nascendo como tal, se sentem masculinos e daí tomaram hormônios a fim de lhe nascerem pêlos na cara, bem como, noutras partes do corpo.

Fazem operações, a fim de tirarem os seios, inclusive, algumas, sujeitam-se a operações para lhe serem implantados pénis, ainda que, artificiais, mas que, dizem, satisfazem uma mulher quando usados.

A grande maioria, contudo, continuam com o sexo feminino embora com corpo de homem.

Muitos desses homens fazem amor com outros homens, ou com mulheres, usando vibradores, sendo o mais usual, o conhecido Strap-on, existindo no entanto, outros.

E pronto. Sujeitando-me aos vossos comentários que, decerto, muito ajudarão a que os nossos leitores fiquem algo mais, esclarecidos.

16 comentários:

  1. Gil António, parabéns pelo brilhante e actual artigo que, bem sabemos ser tabu. Ainda é. Quando uma pessoa nasce num corpo errado deve ser terrível. Principalmente se a pessoa não se sentir bem.

    Acredito que a mudança mexa com o psicológico não só da pessoa como de quem a rodeia.

    Texto muito sensível, que merece ser lido e "discutido" com muita atenção.

    Beijoos Gil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia amiga Anginha Sexy

      Sim, concordo contigo. É um assunto atual e nem sempre bem "discutido".
      Beijinhos carinhosos

      Eliminar
  2. Um tema muito atual que merece ser comentado pois a opinião diverge de pessoa para pessoa. Existe quem considere ser uma doença de cabeça e outras que são puras opções sexuais. Confesso não estar devidamente documentada para chegar a uma conclusão de verdade sobre o assunto.

    Olha Gil, cada um, ou cada qual, leva onde quer, ihhihihihi

    Beijinhos Gil António.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia amiga Raquel Lencastre

      Não considero nem de perto nem de longe ser uma doença de cabeça. Penso mais ser pura opção sexual.

      Beijinhos safados

      Eliminar
  3. Gostei a atualidade ainda mais que em Sp vai acontecer a Parada GLBT, temos que acabar com qualquer forma de preconceito, ms ainda gosto muito de uma mulher, mas admiro a beleza de algumas Trans e Travestis, abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva caro amigo Almeida Lucius

      E existem Trans e travestys simplesmente lindas e maravilhosas

      Grande abraço

      Eliminar
  4. So te posso dar os parabens Gil por esta postagem,muito bom este esclarecimento e muito atual.bjokas larocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paula Silva

      Obrigado, és uma querida, rainha da simpatia
      Beijokas suaves e malandrecas

      Eliminar
  5. Uma abordagem que não entra na cabeça de qualquer um/a, não obstante é muito actual. Acredito que muita gente não estará preparado para ver um filho/a em mudança...se me faço entender. É preciso muita coragem para enfrentar um "fardo" destes.

    Tema para ser bem "explorado". Achei piada à Raquel. Cada um sabe onde quer levar e como quer.. kkkkkkkkkkkk

    Bjos amigo GiL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Larissa Santos

      Não creio que seja um fardo mas reconheço não ser fácil tanto para quem quer ser livre na opção sexual como para os seus progenitores.

      Beijinhos melados

      Eliminar
  6. Uau!!! Uma mulheraça com um mastro que faz ver a muitos homens. Gostava de ver à minha frente uma assim,hhihihihihihiih
    Um artigo muito bom para quem o souber discutir, porque merece.

    Bjus querido e parabéns. Chegou e arrasou :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. OLá amiga Ana

      Lool. Vê bem para onde olhaste logo, lool

      Beijinho daqueles

      Eliminar
  7. Muito interessantes todas as suas considerações querido, mas nunc se esqueça das mulheres que naturalmente cultivam aquilo que lhe é natural, seus pelos, pubianos e axilares, eventualmente nas pernas. Já sentiu os pelos nas pernas quando fode com uma mulher? Se quiser, posso lhe mandar uma foto minha (only for yours eyes) na qual podera apreciar esse detalhe

    beijos saficos

    ResponderEliminar
  8. Excitante tu texto.

    Gracias por visitar mi blog.

    Nos leemos.

    Besos.

    ResponderEliminar
  9. As múltiplas tendências sexuais, não me causa qualquer desconforto. A minha liberdade acaba quando começa a do outro. É bom quando as liberdades se tornam apenas em uma......

    ResponderEliminar