sexta-feira, 22 de junho de 2018

Duas garotas in love... e as férias em Albufeira .

Finalmente as férias merecidas ao lado da minha amada Márcia!  Apesar da distancia que nos separa grande parte do tempo, o skype atenua a saudade.


Mais uma vez fui surpreendida pela mulher que amo. Havia-me dito que só poderia chegar dia 20, derivado a ter de fazer uns despachos...Não resistiu e chegou  mais cedo. Na verdade gostamos de surpresas. Vamos passar 20 dias de férias juntas… Aqui em Sesimbra existem boas praias, mas optámos por ir uns dias até Albufeira. As nossas amigas esperam-nos.


No dia em que Márcia chegou, dia 16, dia em que entrei também de férias, foi uma festa, ambas estávamos carentes a todos os níveis. De conversar, olhos nos olhos, de tudo sobre as nossas vidas profissionais e pessoais. Carentes de nos tocarmos freneticamente. De fazer-mos as refeições à mesma mesa. Dos nossos passeios matinais à beira mar. Das noitadas com as nossas amigas e amigos. E dos nossos momentos tão nossos, tão íntimos onde o amor que nos une é puro e inesgotável.


Ambas somos muito parecidas e sabemos quase sempre o que a outra está a sentir, basta observar atentamente no fundo do olhar da outra... Na noite em que chegou não saímos,  optámos por ficar em casa a ver um filme. "Duas garotas in love"... A Noite estava muito quente e ambas estávamos carentes e excitadas. Muito antes do filme terminar, não resistimos e tivemos o nosso momento de amor e, de orgasmos partilhados, com uma intensidade que nem dá para explicar por palavras. 

Márcia sussurrou-me um segredo que me deixou muito feliz...Querem saber?? Numa próxima💏

Apesar das férias ficarei atenta a tudo o que se passa, nesta que, é também a minha "casa"💕

 👼👼

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Homem casado com mulher, tendo deliciosa relação sexual gay


Existe um ditado bem português que diz: “ Nem tudo o que parece é”. No dia a dia da vida das pessoas tal ditado, por vezes, é a verdade completa.

Diogo Siqueira tem 35 anos de idade. Casou com Manuela aos 25. Têm duas filhas, uma de 8 e outra de 6 anos. É camionista profissional, de longo curso, desde os 26 anos.

Nas suas viagens para o estrangeiro, sempre teve o Felício, rapaz mais novo que ele, apenas um ano, como segundo motorista, visto que o camião, sempre circulava carregado, tanto para lá como para cá, não podia parar, salvo pequenos momentos para aliviar as costas e as pernas.

Salvo raras excepções, um conduzia, enquanto que, o outro, dormia na cama da cabine do camião.
Quando circulavam um ao lado do outro, conversavam sobre factos banais, das suas vidas. O Felício namorava com uma rapariga que trabalhava no Amoreiras.

Diogo gostava da maneira de falar e do estilo de homem que era o Felício. Nos dias de calor, Diogo conduzia com uma T-shirt, enquanto que, a seu lado, o Felício ia em tronco nu, e vice-versa.

Mês de Dezembro, muito frio, estavam em Amesterdão, Holanda. O Felício fazia 28 anos de idade. Cerca das 22H00, foram a um bar beber algo em comemoração do aniversário do Felício. Como só viajavam para Portugal, pelas 08H00, decidiram ir até ao camião, e dormir um pouco. Felício foi para a cama e o Diogo deitou-se nos bancos da cabine. Tinham ligado a sofagem. 

Conversavam animadamente. Diogo reparou que o Felício se masturbava por baixo de um lençol com que se tapava. Felício também reparou que o Diogo o olhava Felício pegando na mão do Diogo leva-a até ao sem membro que estava duro como pedra. Diogo aceitou o repto e acariciou, para baixo e para cima, o pénis do Felício.

Felício retribuiu o carinho, convidando o Diogo a deitar-se a seu lado. Quase que não existiam palavras, mas apenas gestos. Eram gestos de enorme tesão. As cortinas da cabine do camião estavam fechadas. Beijaram-se. Começaram a masturbar-se mutuamente. No auge da tesão, Felício virou o Diogo e, começou a passar saliva entre as suas nádegas. Enquanto isso encostava a cabeça do pénis ao ânus do Diogo. Este, quase sem saber porquê, facilitava e abria-se ao total prazer. A introdução aconteceu, ainda que muito lentamente, pois Diogo era virgem no ânus pois nunca tinha dado para homem algum. Tudo aconteceu dentro de um misto de dor e prazer.

A seguir, Diogo busca o creme de barbear e passa no cu do Felício. Foi um sexo anal gostoso, maravilhoso, pois ambos gostaram. Acabaram por adormecer muito juntinhos.

A partir desse dia, muitas mais vezes o sexo entre ambos aconteceu, sendo que muitas vezes, parando para um período de descanso, nos locais próprios, que existem nas Estações de Serviço, se entretinham a fazer sexo oral um ao outro, e assim a viagem tornava-se muito mais agradável.

Actualmente já não viajam juntos. Felício entretanto casou e foi trabalhar para uma outra empresa. Diogo nunca contou à mulher essa sua relação gay. Vivem felizes, amam-se, e amam as suas filhas de coração.

Não será certamente uma estória única entre homens e mulheres casadas. Acredito que muitas mulheres casadas também já alguma vez fizeram sexo lésbico com uma amiga, companheira de escola/faculdade/trabalho.

Diogo um dia pensou em contar à mulher. Mas achou preferível calar-se a fim de não a machucar, visto que, na sua opinião a mulher não ia entender.

A verdade é que o sexo gay entre dois amigos que viajam muitas vezes juntos pode acontecer. Não direi que seja normal mas também não direi que é uma anormalidade do outro planeta. As coisas acontecem, pois a solidão das viagens, a ligação das conversas entre eles chega muitas vezes à intimidade e daí a aproximação ser maior.

Será que tem uma opinião sobre o que acabo de escrever?
Sendo interveniente num ato assim contaria ao seu conjugue? 
.
NOTA: Todos os nomes insertos nesta narrativa, são fictícios como penso que entenderão.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Teu corpo, chama ardente, em deleite poético



Foste o meu sorriso, o sonho, a luz do entardecer
A poesia, a aragem, a aventura que encontrando
A mais fresca periferia, o resplendor, o amanhecer
A música, a margem, a poesia que fui soletrando

 .
Foste a cálida volúpia que aqueceu minha cama
A musa celestial, a flor, aquela com que sonhei
O meu delírio, meu jardim, minha doce chama
O mais libidinoso sorriso que alguma vez beijei

 
Foste o delírio intempestivo, o erotismo carente
O meu mais robusto deleite, a malícia, o desejo
O magnetismo abrasador que em flama ardente
Trouxe a inocência da noite no som de um beijo
...

quinta-feira, 14 de junho de 2018

FISTING: - Parafilia usada na Volúpia e Prazer Sexual


Hoje vou tentar conversar um pouco com os meus leitores e leitoras sobre uma parafilia (1), denominada FISTING (2),  que é baseada numa técnica especifica que pode ser usada por singulares ou pares, ou seja, por uma só pessoa em si própria, ou por duas ou mais pessoas, de ambos os sexos ou de sexos diferentes, uns nos outros. 

Não é uma parafilia afecta apenas a homossexuais, lésbicas, mas também, é usada para excitação sexual por heterossexuais.

O que é e no que consiste o Fisting?

A prática do FISTING, consiste na introdução da mão - ou das duas mãos -, incluindo ou não o antebraço, na vagina ou no ânus, de si próprio ou da parceira/o, podendo ser na sua totalidade ou parcial, sendo que existe quem diga que a totalidade dá um prazer superior, 

Existem relatos de quem pratica o FISTING que essa técnica lhes traz emoções de volúpia e sensações sexuais intensas, inexplicáveis, de um prazer sem igual. Nos meios científicos o Fisting é conhecido por:- Braquiosigmofilia

Existem riscos na prática do FISTING?

Sim. É uma prática que pode trazer alguns riscos pois pode danificar gravemente os tecidos tanto do ânus como da vagina. Porventura mais do ânus pois os tecidos não são tão flexíveis como os da vagina. Inclusive pode acontecer, normalmente no ânus pequenos rasgões que, regra geral, causam grande dor.

A mão por muita técnica que se tenha a fim de a fechar é, na sua grande maioria, das mãos adultas, mais largo que a espessura de um pénis e daí a perigosidade de causas riscos aquando da sua introdução.

Aconselha-se vivamente que a mão seja vestida com uma luva de látex, a qual, deve ser bem lubrificada, usando um creme bastante oleoso. Não pode ser de outra forma. Tem de haver muito cuidado com o corte das unhas e devem estar sempre bem limpas e desinfectadas.


A luva de látex torna a introdução da mão, no ânus ou na vagina, mais suave. Funciona ainda e também, como protecção contra certas bactérias que existem essencialmente no ânus.

No caso concreto da introdução da mão na vagina, o lubrificando usado – também pode ser usado aquando da introdução no ânus – deve ser à base de água, a fim de que, não irrite/magoe as mucosas existentes no interior dessa. A vagina só por si já se lubrifica, enquanto que, no ânus isso não acontece. Assim, deve o lubrificante usado na introdução da mão, (no ânus) um lubrificante mais oleoso.

Existem alguns cuidados no começo dessa introdução?

Sim. Sendo as luvas de látex fundamentais – são mais fortes que um preservativo – os parceiros têm que estar de comum acordo e pré-dispostos a usar como prazer sexual o FISTING.

Aquando do inicio da penetração, deve-se começar com pequenos toques, massajando a vagina, e num caso mais peculiar a entrada do ânus. 

Nessas massagens deve-se começar usando muito óleo e, introduzindo um dedo e depois outro, e depois ainda um outro, sempre muito lentamente, respeitando a vontade do/a introduzido/a, caso essa/a peça para parar por sentir dor ou outra indisponibilidade corporal e/ou mental.

Sempre muito lentamente, por etapas, sendo que a mão deve ser fechada depois da introdução dos dedos para que o fechamento da mão fique mais esguia e assim facilitar a dita introdução.

Depois da entrada total da mão essa pode ser aberta?

Sim. Depois da entrada total, a mão pode abrir e fechar, como se estivesse a exercitar os músculos da mão e dos dedos, apalpando uma bola de borracha ou de igual matéria.
Tal provoca na pessoa que está a ser introduzida um prazer enorme e difícil de ter uma explicação fácil.

- (1) Parafilia: = comportamento sexual, considerado perversão, tara, desvio comportamental,para além da cópula normal, anormalidade. 

- (2)Fisting: Fist fuck ou fisting ou fist fucking é uma prática sexual que envolve a inserção da mão ou antebraço na vagina (brachio vaginal) ou no ânus (brachio procticus) (Wikipédia)

Sempre pensando em si. Espero ler o seu comentário.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Teu corpo de Volúpia, divina luz, do meu prazer



Beijo a tua pele, passo a língua em teu querer
Meu corpo te envolve, com volúpia, divina luz
És o sonho, o acordar, o meu lânguido prazer
A demência, o desejo, que ao sexo me conduz
.
Entre os lençóis, solto a lava, gritos de tornado
Soltam-se os ais, ouve-se os gemidos de prazer
Encaixam-se os nossos corpos, suor perfumado
Somam-se os orgasmos, um beijo e, adormecer
.
Cai a noite. Surge a meia-luz, sente-se a poesia
Soltar-se por entre doces rumorejos de fantasia
Escorregam os lábios pelo teu corpo que senti
.
Afago-te. É suave o teu respirar, tão puro, sério
Puxo o lençol. Conforto o teu corpo de mistério
Imortalizo a tua pele nestes versos que escrevi


Autor: Nuno Filipe
.

Lascivo Erotismo em Rapsódia Sensual, Volúpia e Malícia.

[ Nuno Filipe ]
Afinidade em me ter ,em me querer,só você! 
Nuno Filipe: » O sexo pode não precisar de aprendizagem mas, requer e muito, aperfeiçoamento. A Volúpia, Sedução, sussurros lânguidos e lascivos, entre outras doçuras sensuais, geram o encaixe perfeito entre dois ( ou mais) corpos sedentos de sensitivo prazer sexual.

[ Mariete Salema ]
Resultado de imagem para imagens sensuais

Mariete Salema: » Esta imagem mostra-nos e transmite-nos emotividade sensual, arrebatamento e voluptuosidade plena de sedução. A sensualidade de uma mulher em todo o seu esplendor

[ Sílvia Pinto ]
Você,eu,somos... Desejo  E Realização...

Sílvia Pinto:»  Mulher sensual e sonhadora numa provocação ao seu parceiro, suave, excitante e libidinosa. Toda a malícia corporal impressa nesta doce imagem.

[Vanessa Flor]

Vanessa Flor:» Nos carinhos preliminares um dos toques que mais excitam o homem e a mulher é passar a língua molhada pelo lóbulo da orelha. Esse toque extravasa a própria libido da volúpia sexual e devassa lubricidade.

 [ Vanda Nicole ]


Vanda Nicole:» Menina Mulher...Apaixonada pelo mesmo sexo. Quando me convidaram para escrever neste blogue, já o conhecia, já era GRANDE. Escrever aqui pedacinhos da minha vida intima é um prazer... Sou bissexual.  O Delírios de Amor e Sexo, faz jus ao seu bonito NOME. Quatro Milhões de visitantes, é como um orgasmo intenso,  em simultâneo...

[ Fábio Luz ]


Fábio Luz: » Uma relação gay/homossexual, é muito mais que sexo. É amizade, compreensão, diálogo, consenso de ideias, parceria e honestidade intelectual. O dormir agarradinhos fortalece a relação, o amor, a união, e o arrebatamento latejante do desejo sensitivo.

Nuno Filipe ]


Brindemos e comemoremos todos com um bom vinho.

Nuno Filipe ]
Nasceu o nosso blogue aos 23NOV2014. Tem cerca de 3 anos e meio. Chegámos hoje ao fabuloso número de quatro (4) milhões de visualizações). Tal, para além da nossa felicidade, "obriga-nos" a ser cada vez mais rigorosos, nas publicações que fazemos. Publicamos para nosso divertimento, mas muito mais que isso, para vosso gosto e prazer sensual e sexual. Sem a vossa presença, o NOSSO blogue não fazia sentido existir.

Administradores : »»» Nuno Filipe ... Mariete Salema ... Sílvia Pinto ...Vanessa Flor ...Vanda Nicole ... Fábio Luz.

A administração agradece de coração a vossa companhia e amizade. Agradecemos também a vários amigos e amigas que já colaboraram connosco, publicando os mais diversos temas, e que, por uma ou outra razão, tiveram que sair da administração. Sabem que a porta estará sempre aberta ao seu regresso. Contamos com todos vós para nos acompanharem até muitos mais milhões.

Venha daí o vosso comentário.

sábado, 9 de junho de 2018

Libidinosos carinhos em paixão lesbiana...

Imagem relacionada

Beijavas-me com voracidade, com carinho, com excitação...Beijavas-me com amor. Sentia a tua, a nossa adrenalina, num desejo que nos possuía.

Resultado de imagem para gifs lésbicos

Tocavas-me com intensidade, desejavas-me. Meu corpo fervia. Sentia-me molhada, com dificuldade em controlar a tesão.  Continuavas... 

Resultado de imagem para gifs lésbicos

 Soubeste tocar no meu ponto fraco. Sentiste o meu copo libertar-se . 

Resultado de imagem para gifs lésbicos

E, com a tua voracidade procuraste tirar de mim, o melhor... O orgasmo é das melhores coisas do mundo, e tu sabes proporcionar-me bons e libidinosos momentos. Sabes o que gosto como eu sei do que gostas. O meu amor por ti é puro.  São estes pequenos instantes que me fazem tão feliz.

Obrigada Márcia. 💏

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Incesto:» Sexo gay entre dois irmãos. A minha 1.ª vez. Do carinho ao Prazer.


Tenho 27 anos de idade. Meu nome é  “Manuel”. Resido na zona de Setúbal onde trabalho. A história que lhes vou contar é real. Tenho um irmão, o “Wilson”, mais velho dois anos, que reside e trabalha actualmente no Porto.

Em 2010, vivíamos com os nossos pais na zona da Ericeira. Eu e o meu irmão, sempre dormimos juntos, pois a nossa casa era muito pequena e só tinha dois quartos, sendo que um, era onde dormiam os nossos pais.

Nunca tivemos problemas em dormir vestindo apenas uma calça, ou calção, de pijama, sendo que muitas vezes, nos meses de verão, até dormíamos nus. Nunca tive espírito Gay, nem nunca reconheci no meu irmão, que alguma vez tivesse qualquer interesse por homem. Ambos tínhamos namoradas.

Nos meses de Inverno dormíamos encostados um ao outro, fazendo eu, ou ele, conchinha para estarmos mais unidos e quentinhos

Em Agosto de 2010, fomos a um baile particular em casa de um amigo, que fazia 20 anos, com música tirada do You Tube. Éramos cinco amigos e cinco amigas. Dançámos, comemos, bebemos, fumámos, reinando a boa disposição e alegria.

Como no outro dia, era dia de aulas, fomos para casa cedo, cerca das 01H00. Eu e o Wilson, antes de ir para a cama, tomámos juntos, um banho de chuveiro, como era hábito. Fazia um calor de fazer suar. Ambos vestimos uma calça de pijama e fomos deitar sempre conversando animadamente.
Algum tempo depois, diz-me o meu irmão:

- Vamos dormir?
- Vamos, respondi.

Virei-me para o outro lado. Como acontecia tantas vezes no Inverno, senti o meu irmão encostar-se a mim de conchinha. Normalíssimo. Senti o seu braço abraçar-me carinhosamente como sempre acontecia. Peguei na mão dele e dei-lhe um beijinho.

Penso que esse beijinho terá sido o “fósforo” que fez acender a chama. Logo no imediato, algo duro foi encostado às minhas nádegas. Senti como o meu querido irmão estava excitado. Fiquei também excitado ao sentir aquele carinho tão doce.

Ambos estávamos bem acordados. Voltei a beijar as costas da mão do meu irmão, enquanto sentia como ele se mexia e roçava no meu cu.

- Mano, desculpa, sussurra-me baixinho

- Respondi com outro beijo na sua mão e dizendo-lhe: Não peças desculpa, está a ser bom.

Beijou-me carinhosamente no pescoço. Com a sua mão, que eu segurava, puxou a minha até ao seu sexo. Deixei-me conduzir. Toquei-lhe. Estava duro como pedra. Entretanto a mão do meu irmão desceu pelo meu corpo e acariciou-me o pénis que também já se encontrava duro. Começámos a masturbar-nos devagarinho um ao outro. 

Notei que o meu irmão baixava a calça do pijama ao mesmo tempo que tentava baixar a minha. Facilitei, pois estava a adorar aquela brincadeira. A nossa excitação era enorme. O meu irmão guiava a minha mão, que acariciava o seu pénis, em direcção à abertura das minhas nádegas enquanto colocava saliva em abundância no buraquinho do meu cu.

A nossa respiração era ofegante. Senti como a cabeça do pénis do Wilson se encostava ao meu cu.

Senti dor. Contrai-me. Descontrai, sussurra-me o meu querido irmão ao ouvido. Facilita, relaxa, estamos só a brincar, e ambos estamos a gostar. Senti entrar a cabeça do pénis. Doeu-me muito. 
Era a 1.ª vez que tal acontecia, pois nunca tinha tido nada com algum homem e muito menos com o meu próprio irmão.

- Relaxa mais um pouco.

Começou num vai e vem lento, muito lento, enquanto colocava mais e mais saliva. A dor foi desaparecendo pois os anéis do cu começaram a relaxar. 

- Estás a gostar, pergunta-me o Wilson.
- Sim, mano, muito.

Sempre lentamente, foi metendo o pénis até ao fundo. Senti os colhões dele baterem nas minhas nádegas. O seu arfar aumentou e o vai e vem também. Beijava-me e masturbava-me com a sua mão.

- Mano, vou-me vir, digo-lhe.
- Eu também, meu querido irmão

Meteu todo dentro do meu cu. Senti o quente do seu sémen invadir-me as entranhas.
Ficámos encostadinhos, como fica quem se ama e faz amor. Ele abraçado a mim.

- Foi tão bom não foi Manel – era assim que me chamava.
- Uma delicia maravilhosa, respondi.

A seguir, sempre abraçadinhos, falámos de coisas banais e adormecemos. Trocámos de posições durante mais 4 anos, até ele sair de casa a fim de casar e constituir a sua própria família. Há cerca de dois anos casei também. Hoje temos filhos, e nem eu nem ele nos consideramos gays.

Costumamos passar as férias todos juntos. Se já aconteceu fazermos amor nas férias?
Não confirmo nem desminto. Talvez numa outra história vos conte algo sobre isso.
Combinados?