quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Sexualmente poetizando: Demos largas à nossa chama de prazer

Deliravas quando te beijava
   Contorcias-te de prazer e excitação
      Todo o teu corpo em carinho se arrepiava
          Deixando nossos corpos em chamas de vulcão


Teu sexo fonte de doçura
   Sentia como de gozo se excitava
      Quando eu cheio de saborosa ternura
         Com meu dedo com meiguice o acariciava


E assim em delírio e prazer
   Nossos corpos unidos em erupção
      Quiseste que meu sexo te pudesse oferecer
          Satisfazendo o teu que adorou a doce introdução


Lentamente e com doçura
   Desfrutámos do nosso querer
      Ouvindo teus gemidos de ternura
          Demos largas à nossa chama de prazer
.

9 comentários:

  1. Que doçura de postagem.. até se me arrepiaram os pelos... Bom demais. Parabéns pelos calientes versos,.

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Um Delírio de poema...Envolto em imagens arrepiantes. Muito bom!!!

    ResponderEliminar
  3. Uma chama que me deixou em brasa. Muito belo ... muito sensual...muito excitante... Muito, muito bom!!!

    Beijos-visite-http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Minha nossa senhora das aflições, meu amigo... fiquei aflito aqui com os meus botões.
    Esta postagem merece nota mil (1000) parabéns- poeta.

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  5. Ohhh my god que poesia tão ardente e imagens tão vulcânicas. Fiquei mesmo embrasada, qualquer imagem provoca uma valente erupcão. Muito bom artigo

    ResponderEliminar
  6. Texto excitante com imagens que traduzem todo o tesão contido em cada palavra.
    Abraços,

    ResponderEliminar
  7. Excitante o texto e as imagens.

    H.D.
    http://ohomemdiscreto.blogspot.com

    ResponderEliminar