domingo, 11 de setembro de 2016

Quando as caricias sensuais de uma mulher deixam um homem pensativo e indeciso...

Existem momentos na vida em que uma pessoa tem que decidir rapidamente.

( What are you doing?) = ( O que você está fazendo? )
..........................................
Imagino-me a ler uma revista qualquer, sossegado, descontraído, e a dado momento
 chegar a minha namorada...


E sentir como ela, muito meiguinha, passa a mão pela minha perna
 e pelo meu "irmão gémeo".


Tirando esse, para fora do calção, que eu tinha vestido e, acto continuo, 
começar a massajá-lo para cima e para baixo.
............................................
Fico pensando: O que eu faria eu numa situação assim? 

- Deixava a revista e ia também brincar com a minha namorada?
- Continuava com a revista e conversava animadamente com a garota?
- Fazia outra coisa qualquer, como seja, convidava-a a dar um beijinho nele?

O que faria você sendo mulher?

- Sendo mulher faria o mesmo que a garota da imagem?
- Fazendo, qual a reacção que esperava dele?
- Faria outra coisa qualquer?

- Sendo homem deixo-lhe as interrogações que faço, em cima, a mim mesmo.
.......

11 comentários:

  1. há espaço para tudo. porque não ler e deixar que nos devorem?

    ResponderEliminar
  2. Nem todos/as gostam de ser interrompidos nas leituras, o facto é que depende das brincadeiras. Elas sabem tão bem! :-)

    Beijos, bom Domingo.

    Prazeres e Carinhos Sexuais

    ResponderEliminar
  3. Que diz ler, diz outra coisa. O Momento é que conta, e o conteúdo que se lê, também! Se fosse uma revisa de coisas boas e quentes, convidava-o para ver... e depois, o resto vinha por acréscimo, kkkkkkkkkk...

    Muito bom, meu lindo :-)
    Bjos

    ResponderEliminar
  4. Obrigado a todos... já estou ótimo!!!
    Muito feliz em receber todos os votos que me deram... Estou muito emocionado !!!
    Um abraço e beijos carinhosos e obrigado pela amizade!!!
    Depois de um forte resfriado e uma gripe dura!!!!
    Agora... vamos voltar à vida!!!
    Beijos do PDR!!

    O post é algo que vejo sempre aqui... maravilha, luxúria, delícia, carinho.... nota mil!!!

    ResponderEliminar
  5. Hummmm....surpreender assim um homem que está bem atento à leitura requer uma certa "arte" no toque!
    Confesso que tenho a minha "arte" que julgo ser infalível à qual um home dificilmente resistiria.
    Após esses toques bem arrebitantes, advinha-se logo o que se seguiria...momentos bem vulcânicos!
    Um post bem irreverente Nuno Filipe, gostei muito!

    ResponderEliminar
  6. Morro de medo da rejeição! Eu não faria!!

    ResponderEliminar
  7. Bom tarde, Nuno Filipe!

    Como tem passado? Aqui, respira-se normalidade.

    Estava a olhar a sua foto de perfil, naquela reflexão toda, marítima, e comecei a conjeturar, sem conjuntura. Não ligue!

    Português (idioma) do Brasil ou Português de Portugal? É k o seu texto apresenta termos brasileiros, como garota e outros. "Em Roma, sê romano", diz-se, e talvez por ter parceria no blogue com brasileiras, use uma ou outra expressão, não nossa. E há pessoas, que são contra o AO (Acordo Ortográfico. Só 184 palavras é k sofreram alterações, para melhor, nas mais de 300.000 que o nosso idioma tem)), não o meu caso, mas usam e abusam de expressões brasileiras, no dia a dia, como, p exemplo o "tudo bem", "não é a minha praia", etc. etc. Dizem, mas não querem escrever. Ora, como compreender esta gente?

    Vamos ao seu texto! Já o tinha lido, mas fiquei sem perceber qtas mulheres aparecem, de facto, na ação. Há uma "garota" e a sua namorada?

    Qto às questões, que coloca a si próprio e aos leitores, passo a responder (imagine k até vou responder por si!).

    Respostas do Nuno, aquando da referida situação, dadas por mim. Com sua licença (estou a ser usurpadora), mas, aí vão elas.

    1 - Ficava na expetativa, não deixaria a revista, como qualquer homem normal, e não tarado sexual, sem saber mto bem o k fazer (isto se fosse a tal "garota", que surgiu ali, sem que, nem porquê). Se fosse a sua namorada, e se já tivesse virados mtas vezes, "frangos" com ela, pois, era capaz de deixar deslizar a revista, para mostrar interesse e se tivesse vontade, iria "brincar" (à cabra-cega?) com ela, não fosse a mesma pensar k tinha outra (onde mora a fidelidade? Não, a Companhia de Seguros, k jugo já não existir, mas o conceito, k é comum abstrato.

    2 - "Garota" ou a sua namorada? O Nuno procederia como na resposta 1 (um).

    3 - Se ela, "garota" fosse mesmo "garota de programa", portanto, invasiva, era capaz de a convidar a beijar o seu sexo. Olhe, digo-lhe mais, nem era preciso falar ou fazer o gesto, pke a "minina" fazia a festa, lançava os foguetes e apanhava as canas.

    As minhas respostas. Ora, vamos lá!

    1 - Por ser mulher, com "M" maiúsculo é que eu não faria o que a "garota" fez. Se fosse namorada, tudo iria depender do estado e solidez do relacionamento.

    2 - Se fosse "garota" esperava a reação COMPLETA dele. Se fosse namorada, esperava uma reação positiva, aprazível e teria de estar preparada, física e mentalmente, para as "cenas" dos capítulos k se seguiriam, visto ter sido eu, k as tinha provocado, conscientemente.

    3 - Se fosse "garota" faria o programa todo e mais algum. Se fosse namorada, com pés e cabeça, teria gestos de ternura, afetos e apelos, k lhe mostrariam a diferença e ditariam a preferência.

    Agradeço a sua visita e completo comentário no meu blogue. Mto obrigada pelas votos aquando do meu aniversário, mto obrigada pelos elogios, "bonita, inteligente, talentosa na escrita", mas olhe k, em geral, as mulheres bonitas não costumam ser inteligentes, e se pensarmos nas grandes inventoras, cientistas, escritoras, eram pouco ou nada bonitas.

    E já escrevi um "bocadinho", não foi? Pois, eu entendo e aceito a sua crítica construtiva, mas, eu gosto mto de escrever e não sei ser sucinta (talvez, eu, um dia, consiga fazer um poema pequeno), mas quero acreditar que não cansei, canso os "meus homens", sobretudo. Cansei-o, Nuno? Se sim, voltarei cá daqui a meio ano. Se não, talvez daqui a um mês.

    Um abraço com mta amizade, estima e apreço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Céu

      Não discuto a forma de escrever nem as expressões usadas. No entanto respeito a sua opinião. Falar de forma abrasileirada não me pareceser um defeito. No Brasil fala-se português, embora por vezes se junte, como em Portugal, determinados vocábulos que podem ser comuns aos dois Países. Garota, Rapariga, ou outros nomes análogos nada tem, na minha modesta opinião, visto parecer ser um iletrado perante determinadas pessoas, de pejorativo. Aliás nem sabia, confesso, que garota era um nome brasileiro. Desde sempre ouvi chamar a uma rapariga ... garota. Até acho ser um nome muito mimoso.

      De resto agradeço o seu comentário. Li com toda a atenção.
      Não, não me cansou. Pessoas como a Céu nunca me cansam. Querendo, volte daqui a umas horas, dias, um mês, ou quando quiser. As "portas" do meu humilde blogue estarão sempre abertas para si.

      Sou de Portugal. Somos quase vizinhos, julgo eu, visto eu residir na zona de Lisboa

      Retribuo o abraço que, sinceramente, senti bem apertado e... sincero

      Eliminar
    2. Boa noite, Nuno!

      Respeito, igualmente, a sua opinião, que é diferente da minha.

      Rapariga no Brasil tem conotação bem negativa. Em Portugal, é normal e mto usada.
      No nosso país, usam-se vários termos para nos referirmos a pessoas do sexo feminino até aos 30, 30 e poucos anos.
      No "meu" Alentejo, o termo é moça. No Norte e Beiras, usa-se rapariga e até miúda (este, vocês, homens, usam-no mto). Garoto, garota, catraio, catraia, gaiato, gaiata são usados especialmente no Norte, mas para crianças e adolescentes.

      Garota, tb me aprece um nome agradável, afável, carinhoso, mas para crianças e adolescentes até aos 13/14 anos.

      O Nuno é um lisonjeador, mas "je suis piropo". Mto obrigada!

      Somos quase vizinhos, diz mto bem, pke julgo que reside na zona norte. Eu, tb.

      Não gosto de abraços apertados, nem apertos de mão mto fortes e o abraço k lhe enviei foi soft. Se o sentiu bem apertado, bem, isso já é a sua parte sensorial e mental a funcionarem.

      Em jeito de remate, gostaria de dizer-lhe que há psicólogos k defendem k um abraço é bem mais "perigoso" que um beijo cordial e desinteressado na face. Sabe, é que a porção de espaço abrangida é mto maior e portanto está-se a um passo de um beijo sem caráter de amizade.

      Dias felizes e bom fim de semana.

      Eliminar
  8. No Brasil se usa o idioma português abrasileirado, por assim dizer! Com a popularização da inernet, existem vários palavras inventadas a que damos o nome de meme!

    ResponderEliminar