sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Pessoa que nasce mulher e modifica o corpo para homem (Transexual/trans). Será obrigatória a reconstrução genital?

Muitos estudiosos sexólogos diferem na opinião entre igualdade ou diferença entre o transexual e o Shemale. Hoje vou falar-vos um pouco, ainda que sem a “profundidade” que o tema requer, sobre o homem transexual/trans.

O homem transexual nasce mulher. Critérios biológicos designam-na como tal. Possui vagina e o seu corpo, com o decorrer dos anos, tanto por dentro como por fora, nas suas transformações biológicas, é afecto ao corpo de mulher, ainda que, de certa forma, a mentalidade não o seja.

Não existe idade, ou momento casual, para que essa menina, que como tal nasceu, descubra em si, que se sente como homem, sendo no género masculino que quer viver. Muitas dessas mulheres, só se definem no género masculino, já na idade adulta, considerando-se a essa idade, depois dos 18/19 anos.

No entanto, desde tenra idade que, a grande maioria, para não dizer todos os seus gostos, se inclinam para gostos masculinos. Certas meninas calam-se perante os seus gostos, brincam contrariadas com os aspectos femininos, ou seja: Vivem num corpo que sentem ser errado, dentro da sua mentalidade, querer e desejo.

Um homem transexual podem identificar-se como pertencendo à vertente sexual onde se englobam os homossexuais, bissexuais, assexuais ou heterossexuais, em virtude do género e orientação sexual, serem factores distintos, embora todos dentro da área sexual.

Muitos homens que pretendem assumir-se como tal, quando estão em corpo de mulher, lutam por fazer um tratamento hormonal, à base de testosterona. Existe quem recorra – e estou falando de mulher para  homem – também à cirurgia estética.

Nessa área de cirurgia estão:»  A mastectomia (retirada dos seios e reconstrução do peitoral) - muitas vezes a área do corte é disfarçada através de tatuagens menores ou maiores - e a histerectomia (retirada dos órgãos internos do sistema reprodutor feminino). Alguns também optam por realizar a mastectomia masculinizadora (transformação dos seios em um peitoral socialmente aceito como masculino), neofaloplastia (construção de um neofalo  ou implantação de uma prótese peniana - pénis), ou ainda a metoidioplastia (transformação do clitóris num micropênis). 

Estas são, geralmente, as cirurgias que são implementadas naqueles corpos de mulher que querem ser homens.

Existe também quem não reconstrua os genitais, ficando o corpo na sua aparência como homem: Sem peitorais femininos, nascendo a barba, usar-se bigode, modificar-se a voz, etc, ficando no entanto com vagina. Muitos desses homens têm relacionamentos sérios com outros homens, sendo felizes em toda a sua plenitude de vivência.

Muitas das pessoas que nascem no género feminino e chegados a certa idade optam pelo género masculino, foram em tempos idos, consideradas pessoas doentes, sofrendo de distúrbios hormonais e/ou mentais. 

Chegou-se a dizer que essas pessoas tinham “picos" de esquizofrenia, bem como, estarem associados a determinada condição intersexual genética ou de cromossomo sexual, associado à persistência de um transtorno psíquico qualquer, durante um certo período de tempo. Esta teoria hoje em dia já não tem, se é que alguma vez teve, razão de ser.

Muitas pessoas que fazem cirurgias acabam, por mais tarde ou mais cedo, se arrepender, e nessa questão, está a opinião de alguns estudantes sexólogos, inclusive de psicólogos. Nessa área está a mensagem do ditado que diz: Não há regra sem excepção.

Muito ficou por dizer mas penso que, o essencial, está dito. Deixo fotos de transexuais que podem de alguma forma ajudar a compreender o alcance do tema.

Querendo, clique nas fotos a fim de as aumentar e assim as ver melhor.

Espero que tenha contribuído com algo de positivo para o seu conhecimento.

9 comentários:

  1. Amigo Gil

    Um tema complicado de responder pelas variantes que compõe e na qual se traduz tão delicada situação. Mas sim, penso que uma mulher que se sente viver num corpo errado, tudo fará para retirar os seios e se possível colocar uma prótese a imitar um pénis, embora eu desconheça se o xixi é feito através da vagina ou desse pénis. Mas é um tema que merece muita atenção e, respeitosamente, ser comentado.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Brilhante e elucidativo artigo!É muito triste nascer em corpo errado. Deve ser atrofiante.

    Bjos GIL. Obrigada

    ResponderEliminar
  3. Parabens Gil Antonio pelo belissimo texto ja conhecia e sei do caso da/do namorado da minha sobrinha nasceu mulher mas esta em fase de transformacao,quase homem so falta a parte genital que ela quer para ficar definitivamente homem.bjokas

    ResponderEliminar
  4. Fantástico texto! Deve ser frustrante nascer com o corpo errado. Ainda bem que "hoje" tudo tem solução. Parabéns amigo Gil António. Amei

    Bjocas repenicadas :)

    ResponderEliminar
  5. Diz o ditado que o saber não ocupa lugar. Um bom texto e um bom tema que todo o mundo deveria ler pois o conhecimento faz parte da sabedoria humana. AMEI ler

    ResponderEliminar
  6. Existem muitos casos assim sendo que muitas pessoas sofrem uma vida inteira em corpo errado. E não me venham dizer que é uma aberração, porque não acredito que o seja

    ResponderEliminar
  7. Assunto interessante e complicado na atual conjectura, onde homem quer ser mulher e mulher que ser homem. Confesso: acho bom mesmo é cada um sendo o que é. Acho-me extremamente feminina, mulher, sensual, provocante e quero permanecer assim. Adoro minha boca carnuda!Meu olhar atrevido. E como assim, também sou fascinada pelo meu Mestre BDSM.
    Dentro de qualquer relação o prazer pode ser explorado de formas diferenciadas. Cada um escolhe a sua. Eu já escolhi a minha como podem ver em meus posts.

    Bjos.

    Sempre bom estar por aqui

    ResponderEliminar
  8. São sempre importantes estes artigos. Ainda bem que as mentes estão a mudar, porque será muito triste estar num corpo errado.
    Muito bom, Gil António

    Um susurro

    ResponderEliminar