segunda-feira, 19 de março de 2018

transsexuais; travestis; Cross-dressing:- Diferenças de Identidade Comportamental

....................................................................
Quando se fala em Travestismo parece que se está a falar numa bomba atómica ou algo de género. Muitos heterossexuais consideram essa vertente um desvio sexual, doença de cabeça, a que dão o nome de; Transtorno Transvéstico.

A verdade é que tendo nomes análogos, são diferentes na sua essência congénita. Ou seja: O Travestismo é o gosto de um homem se vestir com roupas femininas, causando-lhe e envolvendo nessa sua acção, uma forte excitação sexual, manifestando-se essa excitação através de fantasias sensuais, impulsos e comportamentos de imitação do sexo oposto. Não causa no entanto qualquer sofrimento

O Transtorno transvéstico, é um género de parafilia (desvio sexual) que causa dor de alma, sofrimento emocional, com prejuízo funcional na sua forma de estar como ser humano, ou seja, algo errado num corpo cuja mente se sente mulher mas por condicionalismos vários, se encontra aprisionado num corpo de homem.

Sendo a parafilia – considerado um desvio sexual dentro dos conceitos convencionais – seria de admitir que o Travestismo estivesse dentro desse conceito de transtorno. O certo é que...

Estudos comportamentais indicam que a maioria dos travestis não sofre de patologias que, os critérios clínicos, considerem sofrer de transtorno parafílico. Esses critérios exigem na sua globalidade que as fantasias, desejos intensos ou comportamentos da pessoa causem sofrimento, comprometam o funcionamento ou prejudiquem outros. 

Travestismo é um tipo de parafilia, mas a maioria dos travestis não atende os critérios clínicos de um transtorno parafílico, como no parágrafo anterior clarifico.

Dentro na génese do travestismo surgiu uma nova palavra: Cross-Dresssin. Este termo é o mais usado actualmente para definir o travesti. Esse, é alguém que gosta de se vestir de mulher, usar jóias, perucas, perfumes, maquilhagem, isto para os homens, acontecendo o mesmo para com mulheres que queiram se vestir de homem

O cross-dressing (ou travestismo) foi também abreviado para CD. Daí vem o apelido "cdzinha". 

O cross-dressing não está relacionado com a orientação sexual, e um cross-dresser pode ser heterossexual, homossexual, bissexual, pansexual ou assexual.

O cross-dressing também não está relacionado com a transsexualidade. São tudo factos diferentes. Há que saber interpretá-las e saber dividi-las em cada área especifica, dentro daquilo que cada ser humano, requer para si, no que concerne à sua vivência sexual

Os cross-dressers que se assumem na sociedade como tal, regra geral, não modificam o seu corpo, através da terapia hormonal ou operações cirúrgicas.

Existe uma grande diferença entre os transsexuais e os travestis. 

Os primeiros (transsexuais) dizem que nasceram no corpo errado. Ou seja: Consideram-se mulheres aprisionadas em corpo de homem. 

Não gostam do seu órgão sexual, que consideram um apêndice, sendo seu desejo que esse seja retirado através de cirurgia e no seu lugar "nascer" uma vagina. Tomam hormonas para que os seios cresçam a fim de se pareceram em tudo com uma mulher que nasceu como tal. Chegam, inclusive, a fazer tratamentos mais específicos, tais como as cirurgias estéticas onde se incluem as operações plásticas.

O Travesti não deseja mudar clinicamente o seu sexo nem tomar hormonas a fim de que os seios se desenvolvam. Apenas gosta de se vestir de mulher.

Espero ter ajudado a esclarecer algumas diferenças comportamentais.
Venham daí as vossas opiniões sobre a matéria de facto.
.

7 comentários:

  1. Bom dia amigo Nuno Filipe

    Gostei muito de ler as tuas explicações sobre as diferenças comportamentais entre as pessoas que referes. Acredito que esta tua "aula didáctica" seja lida por muita gente e até comentada. Estás em grande forma ao nível da sapiência sensual.
    Aparece para ler:
    .
    * Mãos de amor que seguram um livro fechado ( Poetizando ) *
    .
    Votos de um dia feliz
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Nuno!

    Mas que tema "forte" nos trazes. Muito bem elaborado com todos os requisito! Parabéns.
    Um texto que merece uma leitura bem atenta. :))))

    Beijinhos melados :)))
    Bom Domingo

    ResponderEliminar
  3. Querido Nuno Filipe

    O meu respeito e aplauso por este tema que tão bem aqui explanaste. Soberba sapiência a tua.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Eu respeito!
    Cada um come e dá o que quiser.
    Mas eu...conforme diz o ditado brasileiro:
    "Morro de fome!
    Mas não como cú de 'home'"

    ResponderEliminar
  5. As coisas que nos ensinas, amigo Nuno Filipe
    É um amor
    Bjo

    ResponderEliminar
  6. Tive um namorado que era super bom na cama mas que adorava se vestir de mulher.
    Adorava vestir as minhas calcinhas e fazer a depilação. Mas de travesti ou outro género, não tinha nada. Era um fetiche que tanto a ela como a mim nos dava um prazer infinito.

    Beijo, Nuno

    ResponderEliminar
  7. Ola Nuno amei o teu texto. Ja conhecia e conheco pessoas que sao travestis como tu dizes podem ser bi ou ate homosexuais mas que se vestem como mulheres. Tou a seguir uma novela da Globo que fala mesmo do tema e tou a adorar esse mundo.bjinhos

    ResponderEliminar