quinta-feira, 5 de julho de 2018

Pode uma mulher virgem fazer o exame vaginal denominado Papanicolau?


Uma pergunta que muitas vezes se faz em ginecologia é se uma mulher virgem pode fazer o exame denominado na gíria de Papanicolau.  ........ A resposta é: SIM.

O exame preventivo numa mulher, tecnicamente denominado por,  esfregaço cervicovaginal, colpocitologia oncótica cervical ou numa forma mais simples de  teste de Papanicolau, é um exame ginecológico de citologia cervical, realizado como prevenção, detecção, e/ou confirmação, relativo ao câncer do colo do útero.

O risco de existência de câncer no colo do útero é originado por uma bactéria denominado por papiloma, ou seja, uma infecção causada por um vírus de génese humana, ou HPV.  Este vírus é transmitido através de relações sexuais. 

Dessa forma, facilmente se conclui que, sendo a mulher virgem, a chance de ter sido contaminada pelo HPV é mínima, bem como, o risco de ter alterações no colo do útero, também é extremamente reduzido.

Uma mulher virgem deve sempre comunicar ao médico especialista essa sua génese.

Assim, caso existam, alterações à normalidade, género de, pigmentação, secreções, lesões, entre outros problemas incomodativos e anormais, o médico especialista inspecciona visualmente a vagina ( e o ânus ), externamente, partindo dessa inspecção para métodos técnicos de verificação e confirmação laboratorial, a fim de posterior tratamento.

O que interessa saber é que uma mulher virgem pode fazer esse exame sem perder a virgindade pois existem formas específicas adequadas à realização desse exame que, repito, é muito raro acontecer, pois como acima escrevi o vírus que provoca o câncer no colo do útero acontece através das relações sexuais. 

Espero ter ajudado.

19 comentários:

  1. Minha querida Vanessa mais um belo texto ilucidativo sim as mulheres virgens podem e devem fazer papaniculau ha aparelhos especificos para o exame e prevencao e palavra de ordem. Se todas as mulheres fizem muitas ainda ca estavam para contar a historia. Parabens espero que este tipo de texto abra a cabecinha de muitas mulheres para se tratarem a tempo. Bjs Vanessa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paula Silva

      Muito obrigada pelo seu carinho e amizade. Sem dúvida que se surgir algo de anormal a mulher sendo virgem ou não deve procurar de imediato um/a ginecologista.
      Se tal acontecesse muitas doenças não passariam de um mero alarme e as consequências seriam muito mais amenizadas.

      Eliminar
  2. Sem dúvida que este artigo é bastante importante! Acredito que muitas jovens tenham medo de fazer o exame. Conheço mulheres casadas que esse exame as assusta porque têm uma sensibilidade muito grande. No entanto, depende muito do/da Ginecologista. Existem aqueles que fazem o seu trabalho com cuidado e sensibilidade e existem outros que são verdadeiros "carniceiros" daí existirem mulheres que lhes custa fazer o exame. (falo do que sei)...

    Mas falando das virgens, o medo muitas vezes de serem expostas também as afecta. Existem vários números/tipos de aparelhos espéculos, porque as vaginas não são todas iguais, embora pareça.

    Acredito também que por vezes não se sintam à vontade para ter uma conversa com os pais, principalmente a Mãe. No entanto, acho que devia ser “obrigatório “ a partir de uma certa altura, fazerem o exame como uma rotina.

    Tenho uma amiga, mãe de filhos que faz a citologia com o mais pequeno.

    Se todas as jovens a partir dos 13/14 anos fizessem este exame preveniam-se muitas doenças. Principalmente o do papilomavirus. Porque sabemos que, cada vez mais começam a ter relações sexuais muito cedo.
    A prevenção é fundamental, como fundamental e importante é este artigo. Digno de leitura obrigatória.

    O meu aplauso, Vanessa Flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carolina Rodrigues

      O exame dura apenas alguns minutos e não causa dor. Pode causar algum desconforto mas nada mais que isso. Todas as mulheres, pelo menos aquelas que tenham uma vida sexual activa, deveriam fazer o exame, a partir dos 21 anos.

      Grata pela teu carinho e amizade.

      Eliminar
  3. Penso que este e outros artigos do género são importantes para as jovens, que por pudor não gostam de perguntar.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amiga

      Tenho o mesmo pensamento. Grata pela visita e lúcido comentário

      Eliminar
  4. Parabéns à Drª Vanessa Flor, pelo artigo que tanto a Mulher como o Homem deviam ler e pensar... A prevenção deve começar logo no inicio das relações sexuais. Sou sincera, pensei que as virgens não fizessem o exame com o "bico de pato"...Não obstante de fazer sentido.

    Muito, muito interessante para todos em geral.

    Beijinhos ;)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vanda Nicole

      O "bico de pato" tem vários tamanhos. O/a ginecologista saberá como tratar a virgem e a melhor forma de lhe fazer o exame.

      Eliminar
  5. Boa noite. Nem só de sexo se fala neste blogue, e por isso, seja um dos melhores blogues de conteúdos adultos. Aqui, os temas que são abordados são sempre muito elucidativos. Muito interessante para todas/os nós.

    Adorei, pois infelizmente, ainda existe muita falta de " à vontade"à juventude para se precaverem desde inicio.

    Mas uma coisa eu fico a pensar, como é que um aparelho desses não tira a virgindade, dado que é uma membrana? Ou estarei enganada?

    Tenho que dar os parabéns pelo texto.

    Poema do Gil António, que, por motivos profissionais não pode visitar-vos. Esperamos que entendam...Obrigada.

    Gratidão em Chuva de Amor

    Bjos
    Votos de uma óptima noite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Larissa Santos

      Vou tentar explicar: O espéculo é um instrumento também conhecido como “bico de pato”, devido ao seu formato. Ele apresenta três tamanhos diferentes e, será escolhido de acordo com o estudo sobre cada paciente, entre outras situações que o/a ginecologista entenda. As mulheres que sejam virgens, existe o virgoscópio, um especulo de tamanho especial.


      Eliminar
  6. Tão querida a Vanessa Flor que nor informa com textos tão interessantes e eu a pensar que sabia tudo e afinal não sabia, sei de outras coisas, pois com 14 anos já não era virgem, perdi-a no meio do mato com um amigo de 19 anos que era bem avantajado, mas isso não interessa. Gostei se saber que uma virgem podia fazer esse teste com esse Nicolau. Também podia ser com outro ou não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pink Poison

      Comentou fazendo uso da ironia. Respeito a opção, mas escusava de o fazer. Não está em causa quando e qual a idade em que uma mulher perde a virgindade, onde a perde, e com quem a perde.

      Este exame é um exame que merece ser falado com toda a seriedade e não com brincadeira e ironia.

      Comente sempre mas faço-o de forma a que mereça a pena ser lida.
      Felicidades.

      Eliminar
  7. Querida amiga Vanessa Flor

    Maravilhoso texto. Confesso que, como homem, desconhecia totalmente tudo o que o texto encerra.
    Acredito que, também muitas mulheres sejam mais jovens ou mais velhas, e em particular as raparigas que ainda não tenham iniciado a vida sexual, não saibam ou tenham até algum receio a fazer esse exame.
    É maravilhoso ler algo escrito por quem sabe. Decerto que muitas mulheres que lerem agradecerão tão saudável e bela informação

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nuno Filipe

      És um amigo lindo que adoro de coração
      Beijinhos

      Eliminar
  8. As coisas que aqui se aprendem. Simplesmente fantástico este tema
    Beijinho amiga Vanessa Flor.

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde amigos deste blogue
    Antes demais parabéns pelo artigo que é tão importante! Claro que uma virgem pode, e deve, fazer este exame, mas, bem sabemos que apenas procuram a especialidade quando realmente tem algum problema difícil de adiar. Ainda há a ideia de que perdem a virgindade com o exame... (no entanto, até nós duvidamos, apesar das estatísticas dizerem que não ).

    Prevenir é bem melhor que defender a virgindade. Existem vários tamanhos de aparelhos . Pelos menos 3, que eu saiba,mas deve ser mais. Pessoalmente não tenho medo dos tamanhos. Já foi usado em mim o maior de todos, no momento de colocar o DIU (dispositivo inter uterino) tanto para colocar como para tirar é o grande.

    As doenças aparecem de mansinho e ninguém dá por ela. O Papiloma vírus humano é silencioso e quando começa a dar dores já está avançado. Tem cura se for encaminhado para um bom especialista. Tenho uma pessoa da família que teve e corria o risco de não poder ter filhos se não fosse operada naquele tempo previsto. Foi operada, sem a anestesia geral, apenas local e, felizmente a recuperação correu muito bem. O importante é dar com Médico/Especialista certo. Como diz ao artigo é um vírus sexualmente transmitido. É um vírus que o Homem pode apanhar nas casas de banho publicas. Assim disse o Especialista que a operou, aqui em Lisboa.

    Acredito que muitas virgens tenham problemas mas por vergonha não procuram ajuda. Até as que começaram a ter relações sexuais, que a maior parte auto-medicam-se com a pílula, sem saberem se é a certa... Mas isto seriam outros quinhentos.
    Este blogue continua forte como sempre e vivo como nunca!!

    Duas palavras apenas. PARABÉNS. OBRIGADA!

    Beijoos

    ResponderEliminar
  10. Sem dúvida é uma informação importante pois diz respeito à saúde.

    ResponderEliminar
  11. Um grande texto lendo e aprendendo
    Bjs

    Kique

    ResponderEliminar
  12. Eu sou extremamente cuidadosa com meus odores e secreções, até porque eles são fontes de prazer! Baterias de Exames periódicos (6 meses). Isso dá segurança para nós, traz confiança, transparência. Saúde! É alucinante uma língua invadindo sua buceta, sugando seus desejos... de igual forma sua boca avidamente sugando um cacete desejado. Só pode dar explosão de tesões... eu e meu mestre Dom Marka nos curtimos por demais! Tentem!

    ResponderEliminar

Deixe a sua opinião sobre o que acabou de ver e ler mesmo que seja menos positiva. Essa, nos ajudará a sermos cada vez mais exigentes nos textos que escrevemos e temas que abordamos.